ALUNOS DE EDUCAçãO FíSICA PRODUZEM POCKETZINE

Autor(a):

30/07/2011

Chamado Pedagogia do Corpo, o Pocket Zine é resultado de um trabalho realizado pelos alunos do 6º semestre de Educação Física da Universidade Ibirapuera-UNIB, sob a orientação da Professora Fernanda Ramirez.

A publicação traz um debate sobre processo de ensino-aprendizagem. O foco está baseado em dois métodos: o analítico e o recreativo. A base da discussão é o esporte na escola, mas é possível pensar estes métodos nas mais diferentes disciplinas.

Os textos seguem abaixo

PEDAGOGIA DO CORPO

INTRODUÇÃO

ATIVIDADES ANALÍTICAS VERSUS ATIVIDADES RECREATIVAS

Esta edição do Pocket Zine Pedagogia do Corpo traz um debate sobre processo de ensino-aprendizagem. Existem muitos. Aqui, no entanto, o foco está baseado em dois métodos: o analítico e o recreativo. A base da discussão é o esporte na escola, mas é possível pensar estes métodos nas mais diferentes disciplinas. Participe deste debate conosco! É só ir virando as páginas.

MELHOR MÉTODO DE ENSINO

Quando vamos ensinar uma modalidade esportiva aos nossos alunos, podemos usar as atividades analíticas ( treinamento de movimentos com repetição) ou recreativas (jogos para ensinar os movimentos básicos do esporte). Ambas começam com atividades de pouca dificuldade que, aos poucos, vai aumentando. Porém, na atividade analítica, a repetição acaba se tornando cansativa, tediosa, enjoativa. Já na atividade recreativa, utiliza-se de jogos diversos para trabalhar as mesmas habilidades; o aluno não fica entediado ou enjoado e acaba trabalhando essas habilidades sem perceber.  (Thiago Viana).

E como é bom… quando você fica livre para trabalhar o que você acha importante dentro da prática pedagógica da escola e não especificamente só o que está na grade escolar. (Maila Teles Neves).

QUANTIDADE OU QUALIDADE

Vejo está situação da seguinte forma: os exercícios analíticos são fundamentais quando pretendemos ensinar gesto específico, com um grau de complexidade elevada. Neste caso considero o mesmo como uma excelente ferramenta, pois ele traz consigo o conceito de fragmentação de atividade que estamos desenvolvendo, ou seja, quebrar a seqüência pedagógica do aprendizado em partes. Quanto ao exercício recreativo, toda e qualquer atividade poder ser construída e desenvolvida através de jogos e brincadeiras, como por exemplo: pular corda, pega-pega, jogos de rodas e etc. Os resultados do trabalho feito com atividades recreativas são muito favoráveis, sendo possível atingir resultados muitos próximos aos que normalmente são atingidos quando trabalhamos com o método analítico. (Hélio Vieira).

E O MEIO TERMO?

Tudo tem que ter um meio termo. O aluno precisa de motivação para gostar da aula, e isso é muito importante em qualquer disciplina. Existe no mundo recreativo uma reação natural, um estímulo por conta das brincadeiras. Agora, o mais interessante é mesclar as atividades analíticas com atividades recreativas. Isso dá ao aluno a oportunidade de aprender de forma seria e com motivação. (Raimunda Eliane Freitas Pereira).

Embora sabendo das desvantagens das atividades analíticas não podemos abolir a sua utilização na pedagogia do esporte, mas sim compreender o melhor momento para que ela ocorra. Cabe a nós, como futuros educadores, ao adotarmos uma ou outra atividade, a responsabilidade e o compromisso de utilizá-la de forma que contribua para o desenvolvimento global de nosso aluno, focando o nosso objetivo no seu aperfeiçoamento físico, afetivo, emocional, social e cultural. (Maristela Bittar Falco).

SOBRE OS ESPORTES

No meu ponto de vista qualquer modalidade esportiva deve ser iniciada de maneira lúdica para que os fundamentos sejam apreendidos e praticados de forma prazerosa e sem grandes cobranças permitindo ao aluno que se familiarize com as especificidades do esporte. Aos poucos as regras devem ser mostradas a fim de conquistá-lo para o esporte vigente. As habilidades motoras devem ser trabalhadas vagarosamente, partindo de atividades recreativas, desenvolvendo as habilidades mais simples para depois trabalhar com atividades analíticas beneficiando o desenvolvimento das habilidades motoras mais complexas. (Thalita Franchini Comenale).

E NA ESCOLA, COMO FICA?

Por muitas vezes o ambiente escolar é o único em que as crianças têm a oportunidade de brincar e praticar esporte e, por isso, querem aproveitar da melhor forma possível. Levando isso em consideração, o professor deve mesclar as duas atividades, tanto recreativas quanto analíticas, pois são de extrema importância. Aproveitar o potencial de cada aluno é papel fundamental do professor, respeitando a individualidade de cada um. O professor deve fazer com que suas atividades proporcionem prazer, bem-estar físico e mental de forma a promover a saúde, acima de tudo, que é elemento fundamental para a vida do ser humano e um dos principais focos da Educação Física. (Letícia Rodrigues Gonçalves).

O professor deve criar espaço para contemplar uma dimensão coletiva, os saberes e valores. De modo que se construam espaços de ações capazes de permitir, pelo menos facilitar, uma troca comunicativa. (Roseli Pereira Gonçalves).

PEDAGOGIA DO CORPO Pocket Zine é uma publicação conjunta dos alunos do 6º semestre de Educação Física da Universidade Ibirapuera – Campus Chácara Flora.

Prof.ª Responsável: Fernanda Ramirez

#insta
This error message is only visible to WordPress admins
Error: No posts found.
#facebook