Grandes Álbuns da História do Rock – Parte 01

Autor(a):

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band é praticamente uma unanimidade quando se trata de citar o álbum mais importante dos anos 60.

Contudo, lembremos que o álbum foi lançado em 26 de maio de 1967, antes disso, alguma água já havia rolado por baixo da ponte do Rock and Roll; Freak out, do Mothers of Invention, foi lançado em 27 de junho de 1966, e Pet Sounds, do Beach Boys, foi lançado em 16 de maio de 1966.

O próprio George Martin admite que muita coisa boa estava acontecendo pelo mundo naquela época e como bom produtor musical que era, ele e os garotos de Liverpool (que mesmo sendo garotos, já não eram tão garotos assim) estavam ligados no que acontecia.

Mas, por que razão, então, o álbum dos Beatles goza da reputação que goza? Vamos por partes.

A importância dos Beatles como a maior banda de todos os tempos não é à toa, eles foram a primeira banda de rock a se tornar um fenômeno global, quando os Beatles lançavam um single, ele era lançado simultaneamente no mundo todo. Dessa maneira, talvez John Lennon não tenha tido apenas um arroubo de megalomania quando disse que os Beatles eram mais famosos que Jesus Cristo.

Exageros à parte, o fato é que eles mudaram realmente a relação do público com a música e, também, com os artistas. Os Beatles produziam um tipo de comoção nunca antes vista, eles se tornaram objetos de consumo. Num primeiro momento, isso pode ter sido gratificante para os rapazes, mas aos poucos a histeria coletiva que eles produziam acabou por tirar o foco daquilo que deveria ser essencial, ou seja: a música.

Sendo assim, em 1966 eles resolveram tirar férias e dar um tempo da vida atribulada que levavam, indo cada um para seu canto. Quando voltaram a se reunir, algum tempo depois, Paul veio com a ideia de gravar um álbum conceitual. Cada um trouxe sua experiência exterior e assim, repleto de referenciais e plenos de liberdade criativa – principalmente sabendo que não tinham mais o compromisso de se apresentarem em shows, os Beatles, capitaneados pelo talentosíssimo George Martin, puderam sintetizar uma série de ideias, concretizando-as naquele que seria um marco catalisador de uma época. A partir daquele momento, ninguém mais poderia pensar em produzir música ou tocar sem levar em conta o que eles haviam feito.

O assombro já começa pela capa, repleta de citações de personalidades às quais os quatro se incorporam de maneira indelével, dá pra passar horas analisando cada um dos detalhes ali representados, o que instiga ainda mais ouvir o que a capa continha dentro dela, ou seja, o disco propriamente dito.

São 13 faixas repletas de experimentalismo em que os Beatles conseguem mostrar que além de um fenômeno de marketing também possuíam qualidades musicais que podiam surpreender até o mais cético de seus opositores.

Existe uma quantidade enorme de publicações e documentários a respeito do processo de elaboração e execução de Sgt. Pepper’s, vale a pena citar ao menos um livro, trata-se de Paz, Amor e Sgt. Pepper’s: os bastidores do disco mais importante dos Beatles, de George Martin.

Outra grande sacada é ouvir os álbuns citados no início deste texto, para perceber algumas das influências que foram reelaboradas e serviram de matéria-prima para um dos álbuns mais importantes da história da música.

#insta
This error message is only visible to WordPress admins
Error: No posts found.
#facebook